Com mais de 36 anos de carreira e personagens como a Cuca do “Sítio do Picapau Amarelo” e Dona Jô do “Vai que Cola”, Catarina Abdalla estreou seu primeiro monólogo com uma narrativa que fala sobre a “invisibilidade de personagens” no país. Catarina faz o papel de Eunice, uma mulher sofrida e castigada pela vida que trabalha no período noturno de uma loja masculina, aonde encontra uma forma de se expressar: abrindo o coração aos “homens bonitos” (manequins) a quem ela confessa suas alegrias e tristezas.